• 1

    Instituto do RIM de Campo Mourão
    Excelência em Nefrologia

  • 1

    O Instituto do Rim promove eventos para os pacientes, participe.

  • 1

    Seja um doador, e prolongue vidas...

  • Contato
    e localização
  • Galeria
    de fotos
  • Perguntas
    e respostas
  • Busca

Home » Diálise » Nutrição na Diálise

Nutrição na Diálise

O estado nutricional do paciente renal crônico é hoje considerado fator relevante na sua evolução. Pessoas bem nutridas resistem mais à infecções, à cirurgias e ao próprio tratamento dialítico. A desnutrição protéico-calórica está associada a um maior número de complicações e à maior freqüência e duração das internações hospitalares.
Quando o paciente entra no programa de diálise existem muitas dúvidas sobre alimentação, e nesse momento o papel do nutricionista é fundamental para a orientação e esclarecimento do paciente e familiar, assim como o acompanhamento periódico na unidade durante as sessões.
Cabe ao nutricionista avaliar o estado nutricional;   identificar as necessidades nutricionais individuais dos pacientes; informar sobre os cuidados nutricionais aos familiares e reavaliar periodicamente o estado e as recomendações nutricionais de cada paciente.

Líquidos

Na insuficiência renal crônica pode ocorrer acúmulo de líquidos no organismo. Portanto a restrição de líquidos é muito importante para prevenção de doenças cardiovasculares. A ingestão excessiva de líquidos torna o procedimento dialítico mais complicado, pois durante o tratamento pode ocorrer hipotensão, câimbras musculares, náuseas, cefaléia e não conseguindo retirar o excesso, pode ocorrer edema agudo de pulmão.
Líquidos a serem considerados: água, chá, água de coco, bebidas alcoólicas, gelo, gelatina, sorvete, café, leite, suco, caldo de feijão, sopa, refrigerante, chimarrão.

Sódio

Na insuficiência renal, o excesso de sódio e água no organismo é eliminado na diálise. A ingestão excessiva pode fazer com que aumente a sede, eleve a pressão arterial, edema em geral (inchaço), piorar funções cardíacas e edema pulmonar.
A ingestão diária de sódio em média é de 2 a 4 gramas por dia , que equivale cada grama 1 colher de (café).

Alimentos ricos em sódio encontrados em sua composição:

  • Carnes processadas: presunto, mortadela, bacon, paio, linguiça, salame, carne seca, chouriço e outros.
  • Peixes processados e salgados: sardinha em lata, aliche, bacalhau.
  • Aves processadas: nuggets, steak de frango, hambúrguer de frango, lingüiça de frango.
  • Temperos industrializados: temperos prontos como caldo de carne, temperos em pó, glutamato monossódico, sopas desidratadas, amaciantes de carne, maionese, catchup, mostarda, molho para saladas, molho de soja (shoyu), molho inglês.
  • Patês/vegetais enlatados: patês comerciais, palmito, ervilha, milho, picles,azeitonas, cogumelos.
  • Bicarbonato de sódio: usado em doces, hortaliças e produtos para panificação.
  • Salgadinhos industrializados: chips, amendoim, salgadinhos de pacote.

Vitaminas

Durante a diálise ocorre perda de alguns nutrientes e dentre eles as vitaminas, principalmente as hidrossolúveis (complexo B, niacina, acido fólico, ácido pantotênico e vitamina C).
Verifique com seu médico e/ou nutricionistas sobre a suplementação de vitaminas.

Proteínas/ Carboidratos/ Gorduras

As proteínas são importantes nutrientes para o nosso organismo. As proteínas ingeridas são processadas para nos fornecer seus nutrientes e o produto final deste processo é a uréia.Durante a diálise, o excesso de uréia é eliminado. Porém, essa eliminação não é total e para que não haja acúmulo, deve haver um equilíbrio entre a quantidade ingerida e a quantidade eliminada na diálise. Por outro lado, se você comer pouca quantidade de proteína, não haverá grande produção de uréia, mas você corre o risco de ficar desnutrido.
Conhecendo a importância da proteína no dia­-a-dia de seu tratamento, podemos concluir que é muito importante controlar a quantidade de carnes, aves, peixes e ovos. Como estes alimentos são fontes do mesmo tipo de nutrientes - as proteínas - é recomendável que você coma um deles em cada refeição, seguindo orientação do seu médico ou nutricionista que irá dizer o tanto que você pode comer destes alimentos por dia, de acordo com as suas necessidades.
Os carboidratos e as gorduras nos dão calorias, ou seja, a energia tão importante para manter as células do nosso corpo funcionando adequadamente.
Pães, cereais, frutas, açúcares, geléias e mel são exemplos de alimentos que nos fornecem carboidratos. As gorduras estão presentes no leite, carnes, margarina, molhos de saladas e óleos. A quantidade de calorias, vindas dos carboidratos ou das gorduras, que são necessárias em cada uma de suas refeições, varia de acordo com o sexo, idade, peso, e ainda de acordo com a atividade física que você desenvolve.

Minerais

Potássio
O controle de potássio na insuficiência renal crônica deve ser de extrema importância, pois a redução de sua excreção e conseqüente elevação no organismo podem fazer com que ocorra arritmias cardíacas, podendo ser fatais.
Quase todos os alimentos são ricos em potássio, mas são mais presentes em frutas, verduras e legumes. Estes alimentos não podem ser retirados totalmente do cardápio, pois são fontes de fibras que ajudam na função intestinal e contem vitaminas e minerais importantes para a função do organismo.

A tabela abaixo é diferenciada por cores (verde/ laranja/ vermelho). Os alimentos da coluna vermelha devem ser consumidos apenas nos dias de diálise (uma porção).

Frutas

Pode consumir todos os dias (Média de porções) Controle (Média de porções) Evitar (Média de porções)
Abacaxi - 1fatia média Acerola - 12 unidades Abacate - ¼ unidade/93 gr
Banana maça/ouro - 1 unidade Cereja - 10 unidades Ameixa - 2 unidades
Caju - 1 unidade pequena-50gr Pitanga - 200gr Água de coco - 200 ml
Caqui - 1 unidade pequena Manga espada - 1 unidade média Banana nanica/prata - 1 unidade
Figo - 1 unidade pequena   Caldo de cana - 1/2 copo(100 ml)
Lichia - 8 unidades   Cidra - 1unidade
Jabuticaba - 1 xícara   Goiaba - 1 unidade
Laranja lima - 1 unidade   Jaca - 12 bagos
Limão - 1 unidade   Kiwi - 1 unidade
lima da pérsia - 1 unidade   Laranja - 1 unidade
Maça - 1 unidade   Mamão papaya - 1 unidade pequena
Morango - 8 unidades   Manga rosa-coquinho - 1 unidade
Pêra - 1 unidade   Maracujá - 2 unidades
Pêssego - 2 unidades   Melão - 1 fatia
Romã - 2 unidades 100gr   Nectarina - 2 unidades
Pokan - 1 unidade   Uva - 1 cacho pequeno/70gr
 

Verduras/Legumes/Tuberculos

Pode consumir todos os dias Controle (Média de porções) Evitar (Média de porções)
Acelga - 1 prato de sobremesa/20gr Broto de feijão - 1xíc./100gr Almeirão/ brócolis - 1 prato  sobrem
Alface - 1 prato raso Rucula - 1 prato raso Batata/batata doce - 1 unidade
Abóbora - 1 escumadeira   Beterraba - 1 unidade
Berinjela - 1 escumadeira   Couve - 4 folhas
Cebola - 2 unidades   Cara/inhame - 1 unidade
Chuchu - 1 escumadeira   Cenoura - 1 unidade
Abobrinha - 1 escumadeira   Chicória - 3 folhas
Jiló - 2 unidades   Couve-flor - 1 ramo
Mostarda - 100gr   Espinafre - 1 xícara
Pimentão - 1 unidade média   Milho espiga - 1 unidade
Pepino - 1 unidade média   Mandioquinha - 1 ped. médio
Quiabo - 4 colheres de sopa   Mandioca - 1 ped médio
Repolho - 1 escumadeira   Palmito - 1 unidade
Agrião - 1 prato raso   Rabanete - 100gr
Vagem - 1 escumadeira   Tomate - 1 unidade

Averrhoa carambola
Carambola

**Carambola
A carambola, (Averrhoa carambola ; Oxalidaceae) é o fruto da caramboleira, uma árvore ornamental de pequeno porte, de flores brancas e purpúreas, largamente usada como planta de arborização de jardins e quintais. Originária da Índia, e muito conhecida na China, foi introduzida no Brasil em 1817. Plantada em quase todo o território nacional, começa a produzir frutos em torno de quatro anos de existência, dando em média duzentos frutos, podendo durar de cinquenta a setenta anos. A fruta parece uma estrela quando cortada e tem cinco gomos.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carambola

Em 1996 foi distribuída para alguns pacientes a fruta carambola em um centro de diálise e foram relatados seis casos de intoxicação pela ingestão da fruta (de 2 a 3 unidades) ou suco de fruta. Existe uma neurotoxina na fruta que ocorreu nestes casos sintomas de insônia, soluços, confusão mental e até morte.

Cálcio e Fósforo

O cálcio e fósforo são minerais que ajudam manter os ossos sadios.
Quando os rins não estão funcionando, o fósforo acumula no sangue e o corpo não usa o cálcio de maneira eficiente; O corpo tenta corrigir esta situação e inicia o processo de retirada do cálcio do osso, e acumula no sangue. Esse acúmulo de fósforo (proveniente de consumo excessivo nos alimentos) e cálcio acarreta sintomas como prurido (coceira), enfraquecimento e fraturas ósseas, calcificações de vasos sanguíneos, pulmões e coração.
A hemodiálise retira apenas parte do fósforo sangüíneo, portanto deve ser restrito alimentos ricos em fósforo e também , como coadjuvante, usar medicamentos conforme prescrição médica como os quelantes de fósforo, que são sevelamer, carbonato de cálcio e acetato de cálcio. Estes medicamentos quelam (fixam) no fósforo e levam para as fezes.

PERMITIDOS EVITAR
Arroz Amêndoas/Amendoim e derivados
Biscoito de polvilho/pão/bolacha cream cracker Chocolate e achocolatado
Broa de milho Côco ralado/sorvete a base de leite
Doces de compota sem calda  (exceto diabéticos) Farinha Láctea/Neston/Sustagem
Farinha de milho Flocos de cereais
Fubá Peixe e frutos do mar
Goiabada/Marmelada/Geléia(exceto diabéticos) Queijos/presunto/mortadela
Macarrão Miúdos de galinha/Vísceras(Bucho/Coração/Fígado)
Pão de forma Coca Cola/cerveja/Pepsi Cola

Dicas Úteis:

  • Os quelantes devem ser usados durante as refeições e lanches que contenham alimentos ricos em fósforo, conforme prescrição médica.
  • Tomar os quelantes de fósforo nas quantidades e horários corretos.
  • O uso do quelante torna-se enjoativo, para ajudá-lo misture-o no alimento.
  • O quelante pode se utilizado durante a diálise, caso o lanche seja rico em fósforo.
  • Tenha sempre quantidades de quelante no bolso ou bolsa, caso poderá consumir alimentos ricos em fósforo fora de sua casa e do horário habitual.

Observações

A tabela do sinal orienta os pacientes de maneira geral quais são os alimentos permitidos e evitados de fósforo e potássio (não está baseado em porções), pois a orientação deve ser com a nutricionista e individualizada.
Lembre-se apesar de ser sinal verde tem que ser consumido com moderação, pois o consumo exagerado também eleva o fósforo e pótassio.

Voltar - Imprimir

Get Adobe Flash player

2014 © Institudo do Rim de Campo Mourão
Av. Manoel Mendes Camargo, 450 - Campo Mourão - PR
CEP: 87302-080‎ - Fone: (0xx) 44 3523-4795